MÍDIA, PODER E ESCÂNDALOS POLÍTICOS NO BRASIL

Publicado por facom em 25 de maio de 2017 às 15:34

Aula aberta com professor Fábio Castro discute política e mídia no cenário atual do Brasil

Matéria: Daisy Feio

Fotos: Melyssa Pereira

Diante da conjuntura política atual do Brasil, das reviravoltas constantes que ocorreram desde o impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff e dos últimos acontecimentos envolvendo o presidente interino Michel Temer, a Facom e o PPGCom (Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Cultura e Amazônia) promoveram na última segunda-feira (24) uma aula aberta, intitulada: “Mídia, poder e escândalos políticos no Brasil: o que está por trás da crise?”, com o professor doutor Fábio Castro.

Aula aberta (1)

O evento, que ocorreu no auditório do ICEN (Instituto de Ciências Exatas e Naturais), teve como principal discussão o posicionamento da mídia hegemônica na cobertura dos fatos mais recentes, a respeito, sobretudo, da maior crise política que se instaurou no governo Temer, desde o início da operação Lava Jato. Ao longo da exposição, o professor Fábio fez um resumo do estado atual da nação, expôs um panorama da política e falou sobre o posicionamento da mídia em relação aos eventos, em especial a delação de Joesley Batista, dono da empresa JBS, e a divulgação dos áudios, que comprometem Temer, Aécio Neves (Senador afastado) e outras figuras políticas do país.

Aula aberta (2)

No debate com o público, foi bastante mencionado o fato de ter ocorrido um “golpe dentro do golpe”, um suposto rompimento, uma espécie de conflito entre as forças políticas que articularam a saída da ex-presidenta Dilma e que pôs Michel Temer na presidência do Brasil. Outro aspecto muito discutido foi relativo ao posicionamento da Rede Globo diante desse acontecimento já que, segundo o professor Fábio, a emissora teria rompido com Temer para não afundar junto com ele.

Aula aberta (3)

Rosane Steinbrenner, diretora da Faculdade de Comunicação, comenta a respeito dos comunicadores frente a essa crise midiática e política. “Os meios de comunicação no Brasil precisam ter um equilíbrio maior, é preciso, antes de mais nada, fortalecer o sistema público de comunicação. Existe um papel daquele que produz conteúdo, que constrói narrativas, que possa também usar seus espaços alternativos, nas redes, na internet, para fazer um exercício de produção de conteúdo midiático de resistência a esse cenário de concentração, de manipulação, a partir de interesses que não são o interesse público”, ressalta.

O aluno do PPGCom, Victor Lopes, fala da relevância de trazer essas discussões para a universidade. Para ele, é muito importante escutar a análise de outras pessoas sobre o cenário atual, que ainda é muito complexo. O estudante destaca que os profissionais da área de comunicação devem dar retorno à sociedade sobre o que eles aprendem na faculdade. “A gente tem que pensar em conteúdos que elucidem as questões para a sociedade, que não tem acesso aos modos de produção que a gente tem. Acho que a produção de conteúdo em comunicação não é a única saída, mas é a primeira, a mais imediata, a que pode surtir efeitos mais rápidos”, declara o aluno.

Aula aberta (4)

Segundo o professor Fábio, que é também coordenador do PPGCom, o evento faz parte de uma agenda recente de debates públicos que a Facom e o programa de pós-graduação promovem, envolvendo democracia e comunicação. “É um evento que tem muita importância, porque a gente vive em um momento de crise nacional, de açodamento das perspectivas democráticas no Brasil e um debate como esse, eu acredito que tem um potencial de ajudar a formar uma opinião mais crítica, a respeito do que a gente está experimentando”, destaca Fábio.

Leia, na íntegra, a transcrição da aula pública: “Mídia, poder e escândalos políticos no Brasil: o que está por trás da crise?”, publicada no blog do profº Fábio http://hupomnemata.blogspot.com.br/2017/05/transcricao-da-aula-publica-midia-poder.html

VOLTAR
MAIS NOTÍCIAS