ALUNOS DE COMUNICAÇÃO DA UFPA ALCANÇAM NOTA MÁXIMA NO ENADE

Publicado por facom em 10 de março de 2017 às 20:30

Os cursos de Jornalismo e de Publicidade e Propaganda receberam, respectivamente, os conceitos 4 e 5

Os cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da Facom-UFPA alcançaram os conceitos 4 e 5, respectivamente, no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) referente ao ano de 2015. O resultado foi divulgado na última quarta-feira (08), pelo Ministério da Educação (MEC).

Novo laboratório de informática foi uma das aquisições nos últimos 3 anos na Facom
Novo laboratório de informática, com programas de edição em adidiovisual, foi uma das aquisições nos últimos 3 anos na Facom

O Enade é a etapa mais visível do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), vinculado ao MEC, porém, não é a única forma de análise dos cursos de Ensino Superior no país. O ciclo de avaliação ocorre com a periodicidade de três anos e analisa variados aspectos, como organização pedagógica, infraestrutura, titulação dos professores e regime de trabalho dos docentes. A partir destes itens, somados ao desempenho dos alunos concluintes na prova do Enade e à avaliação que os próprios estudantes fazem das condições do curso no questionário que preenchem, chega-se ao Conceito Preliminar do Curso (CPC).

A Caldeirada foi um dos eventos criados e consolidados nos últimos três anos na Facom
A Caldeirada – Comunicação e Cultura foi um dos eventos criados e consolidados recentemente na faculdade

O CPC vai de 1 a 5 e é um indicador prévio criado pelo MEC (INEP) da situação dos cursos de graduação no país. Conceitos abaixo de 3 são considerados insatisfatórios e recebem visitas “in loco” de avaliadores do MEC para corroborar ou alterar o conceito obtido preliminarmente. Caso que ocorreu com o curso de Jornalismo da UFPA no final de 2014. Ele foi ameaçado de suspensão do vestibular pelo resultado reincidente inferior à média – motivado especialmente por um posicionamento político dos alunos do curso em boicote à forma de avaliação do MEC, pesando também a histórica deficiência de infraestrutura e equipamento do curso. Com a nota do Enade divulgada esta semana, os dois cursos alcançaram o conceito 4, considerado muito bom, colocando-se entre os 16% dos mais de 8 mil cursos avaliados em 2015 na área das Ciências Sociais Aplicadas no Brasil.

Avaliação positiva reflete esforço e ganhos coletivos dos últimos anos

O aumento da nota do Enade, que se reflete no conceito do curso, é uma conquista para a Faculdade de Comunicação da UFPA e reflete um esforço conjunto, de técnicos, professores e estudantes para a melhoria da qualidade do ensino da instituição. Tarcizio Macedo, aluno do Programa de Pós-Graduação Comunicação, Cultura e Amazônia (PPGCom) e que participou da última prova do Enade, explica a importância da Facom ter seus dois cursos com notas expressivas na avaliação do MEC: “O resultado dessa avaliação para a Faculdade e para os estudantes é muito positivo. Ele representa um processo de conscientização dos alunos que sentiram os impactos que a faculdade teve, nós tivemos e futuros calouros que iriam ingressar também tiveram, da possibilidade de não haver mais oferta de vaga para o curso. Eu acredito que esse foi um impacto muito forte na faculdade e que, de alguma forma, surtiu uma reflexão necessária para avaliarmos a importância desse processo. Além disso, fazer o Enade com qualidade representou o esforço de trazer aos alunos um ganho muito significativo porque, quanto maior a nota, maior o reconhecimento para a faculdade”, avalia Tarcizio.

Bom desempenho é reflexo de esforço coletivo

Para a diretora da Facom, Rosane Steinbrenner, a nota do Enade é fundamentalmente o resultado do desempenho e do compromisso do aluno em participar dessa etapa de avaliação dos cursos de graduação. “Queremos, antes de tudo, parabenizar nossos alunos. As notas 4, muito bom, e 5, excelente, refletem fundamentalmente que os alunos da Facom – 47 de Jornalismo e 26 de Publicidade e Propaganda que participaram do Enade 2015 – estavam aptos à responder às questões formuladas (10 de formação geral e 30 de componentes específicos de cada curso), como também demonstra o reconhecimento de um processo de melhorias do curso, consequência dos processos coletivos de luta e reivindicações, que foram acatadas e apoiadas pela reitoria da UFPA e que teve importante protagonismo dos alunos”.

Durante os últimos três anos, os avanços alcançados foram além da infraestrutura e do aumento do quadro de técnicos da subunidade. A diretora destaca, ainda, o maior dinamismo e interação acadêmica na faculdade: “Um exemplo disso é o crescimento das atividades integradas de ensino, extensão e pesquisa, com um aumento no número de projetos e de bolsas de estágio, assim como na realização crescente de eventos abertos e compartilhados entre graduação e pós-graduação. Isso cria um ambiente propício ao aprendizado e trocas de conhecimento que vão muito além da sala de aula”.

Projetos de Extensão da Facom atuam de forma integrada
Projetos de Extensão da Facom atuam cada vez mais de forma integrada entre si, e com o Ensino e a Pesquisa

Mas ainda há muito o que melhorar, garante. O grande desafio, como explica a diretora da faculdade pioneira no Pará e que acaba de completar 40 anos, continua sendo a melhoria da infraestrutura e equipamentos: “Nossa expectativa é finalizarmos este ano a reforma de nossos estúdios de TV e os de Rádio, adquirir os equipamentos de edição que ainda nos faltam e garantir uma política permanente de renovação do nosso parque tecnológico. Precisamos também adequar os espaços que temos hoje a uma lógica convergente de produção de conteúdos. Perspectivamente, precisamos lutar por nosso prédio da Comunicação da UFPA, onde graduação, pós-graduação, projetos de extensão e pesquisa possam atuar de forma integrada e convergente e se tornar referência na produção de conteúdos e de conhecimento na área da comunicação na Amazônia”.

Projetos de Extensão da Facom cada vez mais geram novas oportunidades de aprendizado
Projetos de Extensão da Facom cada vez mais geram novas oportunidades de aprendizado

A diretora ainda destaca uma pauta social, atual e urgente, que diz respeito à comunicação inclusiva: “temos que assumir como princípio a acessibilidade de forma ampla, ou seja, ter como norte uma comunicação que seja inclusiva e cidadã, em todos os processos de formação e reflexão que fazemos, e de forma ainda mais intensa, trabalhar para desempenhar o papel que nos cabe como universidade pública, que é o de ser, permanentemente, o lugar primordial ao debate público e crítico”, completa.

VOLTAR
MAIS NOTÍCIAS